segunda-feira, 14 de setembro de 2009

O beijo de Judas


Por:
Confrade Paulo






"Jesus perguntou-lhe: Judas, com um beijo trais o Filho do Homem!" (Lc 22,48)






Judas Iscariotes foi o único apóstolo de Jesus que não era galileu, deve seu nome mais provavelmente a uma corruptela da palavra latina sicarius (assassino), sugerindo que fazia parte do mais radical grupo judeu, os sicários, dos quais alguns eram terroristas. Também é possível que Iscariotes seja indicativo de origem familiar.

Judas, ao que tudo indica nos relatos escriturísticos era encarregado de levar o dinheiro do grupo (cf. Jo 12:6 e 13:29).

Além do fato de ser um dos apóstolos, de sua traição e de sua morte, os evangelhos pouco revelam sobre Judas.

Sabemos que depois da última ceia, Jesus foi orar com os apóstolos no jardim de Getsêmani, onde Judas, em troca de trinta moedas de prata, identificou-o para os guardas, beijando-o e chamando-o de mestre. De acordo com Mateus (cf. Mt 27:3-10), Judas arrependeu-se, devolveu o dinheiro e em seguida enforcou-se.

Alguns pontos são intrigantes quanto a este personagem que tomou a forma da traição, Judas, seu nome, muitas vezes é usado para indicar pessoas de conduta infiel, traiçoeira. Mas vamos nos aprofundar um pouco mais nisso.

Judas foi, como todos os 12, chamado por Jesus a deixar tudo e segui-Lo, ele ouviu o chamado do Senhor e obedeceu, nisso Judas se iguala aos demais apóstolos?

Os relatos do Evangelho são posteriores, isso é, nada estava sendo escrito enquanto acontecia, os evangelistas narraram os fatos depois, isso já marca Judas, que nos Evangelhos já vem sempre narrado como "o traidor".

Jesus é Deus, não podemos separar Sua natureza humana da divina, podemos distingui-la mas nunca separa-la. Isso nos leva a algumas conclusões, sendo Jesus plenamente Deus precisamos refletir se dispunha da onisciência enquanto em seu Ministério, muitos indícios apontam que sim, porém há indícios que apontam que não. Será que Jesus ao chamar Judas Iscariotes para ser um dos 12 já chamava aquele que cumpriria a profecia e entregaria o Filho do Homem? Jesus tinha esse conhecimento? Parece-nos que sim, tanto que na Ceia, Jesus profetiza o que está para vir e as ações que Judas tomaria.

"Durante a ceia, disse: Em verdade vos digo: um de vós me há de trair". (...) "O Filho do Homem vai, como dele está escrito. Mas ai daquele homem por quem o Filho do Homem é traído! Seria melhor para esse homem que jamais tivesse nascido! Judas, o traidor, tomou a palavra e perguntou: Mestre, serei eu? Sim, disse Jesus". (Mt 26, 21; 24-25)

Jesus conhecia Judas, como Jesus mesmo ensinou, não foram seus discípulos e apóstolos que O escolheram, mas Ele os escolheu. Jesus aos chamar Judas chamava seu destino, tomou cálice amargo, desde o principio. Em certo ponto Jesus, durante a Ceia diz a Judas: "O que queres fazer, faze-o depressa". (cf. Jo 13,27) Como que ordenando a Judas que cumprisse seu papel, o traisse!

Podemos então pensar:

Jesus poderia ter poupado Judas dessa terrível condição, simplesmente não o chamando. Judas recebeu de Jesus o mesmo amor que dedicava aos demais apóstolos, com seu livre-arbítrio poderia ter seguido por outros caminhos, Jesus, Deus, sabiam das escolhas de Judas, de sua traição por vir, no entanto em nada o induziram a isso, pelo contrário, a Mensagem que de Jesus Judas recebeu o conduziam para longe dessa traição, mas ele escolheu não ouvir, seguia, mas escolheu não seguir, foi lhe oferecido duas opções, morte e Vida Eterna, ele escolheu a morte.

Judas acreditava que Jesus era o Messias, no entanto não o conhecia, estava com Ele, ouvia seus ensinamentos e não os aprendia, andava com Ele mas não estava junto dEle. Judas esperava que Jesus se levantasse contra a opressão romana e fosse um grande Rei para os Judeus, trouxesse de volta os tempos aureos de Davi, ele esperava isso por ter Fé em Jesus, no entanto ele criou um Jesus próprio, o Jesus ao qual dedicava sua Fé não era o Jesus que ao lado dele estava, ele moldou seu próprio Messias e não ouvia o que o verdadeiro Messias o ensinava. Quantos de nós estamos fazendo isso nesse exato momento?

Ao entregar Jesus, Judas esperava que este se levantasse, liderasse o povo contra Roma e libertasse a nação judéia, Jesus se entregou como um cordeiro, Judas ouviu isso de Jesus, seu Mestre, Nosso Senhor, já havia ensinado que não veio para libertar nações de nações, veio para libertar homens do pecado, não veio para vencer guerras humanas mas para lutar contra a morte da alma. Judas não ouvia Jesus, não se alimentava com a Verdade do Verbo, mas alimentava suas próprias crenças, nunca se converteu.

Ao dar o beijo em seu Mestre abriu mão de tudo que dEle havia recebido, esse beijo é o sinal de toda sua ignorância.

Judas entregou-se a si mesmo ao abismo, pois nunca esteve com Jesus, a mensagem do Cristo nunca penetrou seu coração cercado com os muros de seus próprios conceitos. Na verdade Judas, ao seguir Jesus, ouvindo seu chamado, não se igualou aos demais apóstolos pois não deixou tudo, ele trouxe consigo suas antigas crenças, e estas o destruiram! Judas nunca se converteu.

Para seguir Jesus e encontrarmos a "plena conversão" precisamos nos despojar de tudo, abrir mão de tudo que temos e ser para o Verbo como que páginas em branco para que Seu Evangelho escreva nossa Nova História, uma história que não terá fim, pois nos conduz a Vida Eterna!

Que possamos ser verdadeiros conversos, permanecer no amor de Jesus, amar os irmãos, cumprir a vontade do Pai e ser chamado de amigo pelo próprio Cristo. Existe alegria maior?

Que Jesus, com o título belíssimo de Nosso Senhor e Redentor, cuja a ressurreição e vida celebramos, nos ajude a fazer de nossas vidas uma profissão de amor e fé, paz e unidade".

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO!

Nenhum comentário: